Inesquecíveis Novelas

By 21:45


Créditos das Sinopses: WikipédiaTele História

Antes de mais nada vou deixar algumas coisas bem claras aqui.

Novela é o tipo de manifestação literária mais popular da cultura brasileira. Antigamente enquanto não inventavam a televisão, existia a famosa Radionovela, onde as pessoas daquela época passavam seus fins de tarde depois de um dia árduo de trabalho duro, ouvindo as belas vozes dos atores e atrizes e suas inesquecíveis histórias. A vantagem daquele tempo era que o ouvinte precisava imaginar as cenas e os personagens, assim como nos livros, à sua maneira. Agora com a televisão, infelizmente não é mais necessário usar da imaginação, assim as novelas evoluíram com o tempo.

Já fui noveleira de plantão há uns anos atrás na época das boas e verdadeiras novelas, quando eu era pequena. Todo o meu fim de tarde era para assistir as famosas novelas mexicanas e algumas brasileiras, que eram as minhas favoritas. Daquele tempo, sim era realmente novelas com enredos de tirar o fôlego, personagens cativantes e inesquecíveis. Infelizmente hoje eu não assisto mais devido a artificialidade que as novelas dos anos 2000 para cá ficaram. Sem querer ofender, mas chamar "Rebelde", "Os Mutantes" e "Camaleões" de novela é insulto! (Estou profundamente decepcionada com a Belinda Peregrin de "Camaleões" por ela ter aceitado fazer papel nesta novela de quinta!) e tantas outras novelas desses últimos anos que dá vontade de chorar de tanta hipocrisia. Claro que tem algumas que se salvam, mas não tem jeito, as novelas antigas sempre vão ser as melhores e quero ver algum noveleiro discordar de mim, eu que não tenho vergonha de dizer que vi mais novela do que minha avó, risos.

Diante disso, escolhi algumas novelas que marcaram minha infância e também a vida de muitas pessoas ou dignas de serem assistidas, mas não significa que eu tenha visto todas elas. Essas novelas que irei apresentar fizeram um sucesso estrondoso na época que passaram na televisão e seus personagens são lembrados até hoje. 

Começando pelas estrangeiras:

A Usurpadora


A novela que mais me viciou na história, risos, "La Usurpadora" foi ao ar pela primeira vez entre 22 de Junho e 09 de Novembro de 1999 (eu lembro!!! \O/) pelo SBT em associação com a rede de televisão mexicana Televisa, tendo sido reprisada nos anos de 2000, 2005 e 2007. 

Escrita por Inês Rodena, conta a história de duas irmãs gêmeas muito distintas em personalidades separadas quando crianças, que se reecontram já adultas por mero acaso. Paulina Martins que ficou com a mãe, cresce e se torna uma mulher humilde e de bom caráter que cuida da mãe enferma, enquanto Paola Bracho cresce numa família rica, sendo uma mulher ardilosa, fria, ambiciosa e calculista. Ela é casada com Carlos Daniel Bracho, mas tem uma vida extraconjugal muito ativa. No encontro, Paulina, sob ameaças é obrigada a ficar no lugar da irmã enquanto Paola viaja pelo mundo com seus amantes. 


Como qualquer trama de novela, o enredo até pode ser clichê e ter o famoso casal protagonista, mas o que torna uma novela um sucesso é justamente a boa interpretação dos atores e muita ousadia (no bom sentido). A Gabriela Spanic (Paola/Paulina) para mim, conseguiu fazer um show de interpretação nos dois papéis. Em fim, vale a pena assistir de novo rs.






Zorro: La Espada y La Rosa



Zorro: A espada e a Rosa foi uma telenovela colombiana produzida pela RTI Colombia-Telemundo em parceria com a Sony Pictures Entertainment, exibida no Brasil pela Rede Record entre 28 de Maio a 08 de Outubro de 2007.

A telenovela se passa nos anos 1800, no México, na Espanha e na cidade de Nossa Senhora de Los Angeles no estado da Califórnia no México, como nos dias de antigamente. Na história, o cruel governador Fernando Sanchez de Moncada arranja o casamento de uma de suas filhas, Esmeralda, uma moça rebelde que sempre sonha com um amor verdadeiro.
Ela irá se casar com o inescrupuloso Ricardo Montero, comandante da Guarda de Los Angeles. Mas Esmeralda gosta mesmo é do charmoso Diego, o único filho de Alejandro de La Vega, um poderoso fazendeiro e general aposentado. Diego é tido por todos como covarde e irresponsável. Mas essa é apenas uma artimanha para esconder sua verdadeira personalidade: um justiceiro mascarado, Zorro.
Confesso que eu não assisti a novela inteira rs, mas do que eu mais gostei foi exatamente por ser uma novela de época recontando a famosa história de um herói que também já teve adaptações para o cinema. Infelizmente aqui no Brasil a novela não teve um estouro de audiência por que a Record não soube aproveitar o melhor da dela colocando-a num horário complicado, essa é a verdade. Se fosse o SBT eu duvido se não tinha dado audiência! (Não que eu seja fã número 1 desse canal...)





Agora, as novelas brasileiras:


A Escrava Isaura



"A Escrava Isaura" é uma adaptação do romance de mesmo nome de Bernardo Guimarães, por Thiago Santiago e Anamaria Nunes, sendo produzida pela Rede Record entre 18 de Outubro de 2005 a 29 de Abril de 2005.


Na primeira parte, Isaura está na fazenda em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, vivendo sua vida de escrava bem prendada,mucama da noiva do filho de seus donos originais. Porém, ela é importunada a todo o momento por alguém querendo cortejá-la, inclusive o seu sinhô novo, Leôncio. Por ter essa paixão por Isaura, Leôncio não a liberta, como sua mãe havia pedido antes de morrer.
Mesmo assim, o pai de Isaura, Miguel, conversa com o pai de Leôncio e faz um trato no qual ele dará 10 contos de réis pela liberdade de sua filha. Ao chegar com a quantia na casa onde Isaura é escrava, eis que chega uma carta dizendo que o pai de Leôncio morreu, dando uma desculpa para Leôncio não libertar sua escrava.
Sem restar outra escapatória para Isaura, Miguel usa os 10 contos de réis que tinha para comprar sua alforria em uma fuga. Levando o romance ao seu segundo estágio. Apesar de eu não ter visto a novela nem lido o livro (ainda) só uma crítica tenho a fazer: Bernardo Guimarães precisou "esbranquiçar" a Isaura, do contrário seu romance não seria publicado. Sei lá, achei covardia dele. Nunca ouvi falar de uma escrava branca! Em fim...



O Clone



O Clone foi produzida pela Rede Globo entre 1 de Outubro de 2001 e 15 de Junho de 2002 (eu lembro também!! \O/\O/), escrita pela digníssima Glória Perez, tendo reprise este ano no "Vale a Pena Ver de Novo".


Ambientada no Marrocos e na cidade do Rio de Janeiro, tendo como fio condutor o romance entre Lucas  e Jade, a novela aborda temas polêmicos como clonagem humana e dependência química, além de retratar costumes da cultura muçulmana.

A história tem início na década de 1980, quando Lucas, acompanhado do irmão gêmeo Diogo (também Murilo Benício), do pai Leônidas, da namorada do pai, Yvete , e do cientista Albieri , faz uma viagem ao Marrocos. Lá ele conhece Jade, filha de muçulmanos nascida e criada no Brasil, que fora viver com a família após a morte da mãe, Sálua. Os dois jovens se apaixonam, mas os costumes muçulmanos impõem uma série de obstáculos à união.



Vou parar por aqui se não quem não assistiu vai querer me matar. Tem um motivo por ter o nome O Clone, tá? rs.


A única novela da Rede Globo que eu assisti inteira! E gostei muito, só tenho elogios. Recentemente mais uma novela da Glória Pérez com a temática de culturas diferentes também foi ao ar, "Caminho das Índias", o que eu acho muito bacana já que a novela tem um peso muito grande na cultura brasileira que também pode ser usada para divulgar outras culturas.



Bom, é isso. O que eu tenho só a dizer é que é muita ignorância das pessoas que se julgam cult dizer que odeia novelas e "elas só têm o que não presta", sendo que na verdade nunca assistiu uma novela na vida. Claro, a famosa cultura do "eu odeio tudo que está fazendo sucesso" vai fazer de você inteligente. Pura ilusão! Como tudo na vida, tem sempre o que é bom e ruim. Minha mãe sempre diz para eu primeiro conhecer a coisa para depois dizer se é bom ou ruim. Existe novelas boas e novelas ruins, filmes bons e filmes ruins, livros bons e livros ruins, música boa e música ruim, sempre os dois lados da moeda. Cabe a nós termos discernimento em escolher e reconhecer alguma coisa quando é boa ou ruim. A pior coisa do mundo são pessoas de mente fechada, eu já fui assim não vou negar, que não dão oportunidades para se conhecer outras coisas além daquelas do mundinho individual. Lamentável.


Eu poderia também citar muitas outras novelas, pouco mais recentes e antigas que também têm uma história bacana, mas sei que vou acabar esquecendo de alguma, risos. 


Destaco também as trilhas sonoras de "O Clone" e "Zorro: A Espada e a Rosa". Nem preciso dizer que eu sou apaixonada por trilhas, né? :P


Em fim, são boas histórias e um ótimo entretenimento.


Beijos!







Leia também

0 comentários

Hey ;) Obrigada por deixar o seu comentário e volte sempre!