#DDL: "O Retrato de Dorian Gray" e "Contos" - Oscar Wilde

By 16:07


E o DDL voltou! \O/

Trago para vocês, leitores queridos, mais um clássico favorito da pessoa que vos escreve.  O Retrato de Dorian Gray é o único romance publicado do escritor irlandês Oscar Wilde (1854-1900). Conta a história do jovem Dorian que passa de um garoto sensível e dócil, para um homem arrogante e narcisista. Mesmo ao passar dos anos, continua jovem e bonito, porém toda a velhice e podridão de sua alma fica gravada num retrato.

Eu li esta bela narrativa meio que por acaso e da primeira leitura, mesmo gostando muito da história, foi difícil a compreensão do texto, pois era (e ainda é! #rs) muito complexo para minha cabecinha. No segunda leitura, que já faz uns dois anos eu consegui extrair muitos conhecimentos e "subtendidos" da obra. Pretendo relê-lo de novo quando vier uma oportunidade. Mas fica a dica: é chocante. Pelo menos para mim foi, apesar de eu ter gostado muito do protagonista (eu e meus gostos esquisitos) e estar inconformada com o seu final. O livro também conta com bastantes divagações filosóficas e sociais do autor através dos personagens.

Antes do O Retrato de Dorian Gray, eu tinha lido uma antologia de contos do mesmo autor, sendo este livro é um marco na minha trajetória literária. Nele temos os contos O Retrato do Sr. W. H (incrível!), O Crime de Lord Arhur Savile,  A Esfinge sem Segredo, O Milionário Modelo e O Fantasma de Canterville, este último sendo o conto mais famoso do escritor e um dos que eu mais gostei, junto com O Retrato do Sr. W.H. que é o meu favorito da antologia. Tudo porque há Shakespeare e teorias da conspiração envolvidas - coisas que eu definitivamente sou fascinada. 

Para um primeiro contato com a obra de Wilde, é recomendável ler o referido livro. Eu não garanto que vocês irão gostar como eu gostei, porque aí já envolve opiniões pessoais e gosto literário, mas pelo menos dar uma chance seria interessante.

Oscar Fingal O'Flahertie Wills Wilde nasceu em Dublin, em 16 de outubro de 1854. Em 1892 ele começa a escrever contos que hoje são aclamados na literatura e no cinema, dentre eles O Rouxinol e a Rosa e O Príncipe Feliz. Em 1895 ele foi preso e condenada a trabalhos forçados por ser envolver num escândalo com um jovem, acusado de ter cometido "atos imorais contra rapazes". Em 1897 ele é libertado da prisão, indo viver em Paris com um pseudônimo e praticamente arruinado, morrendo em 30 de novembro de 1900 por um ataque de meningite, aos 46 anos.

Leia também

2 comentários

  1. GiselaMenicucciBortoloso30/04/2012 12:04

    Estava pensando neste livro hoje, e entro no seu blog e vejo esta resenha. este é um dos livros que quero muito ler, mas ainda não comprei. Já vi um filme, mas não sei se foi fiel ao livro. é um clássico e vale a pena a leitura.
    um abraço
    Gisela - ler para divertir 

    ResponderExcluir
  2. Eu não vi o filme que saiu ainda.. Bem lembrado. Ah leitura vale a pena com toda a certeza =D

    ResponderExcluir

Hey ;) Obrigada por deixar o seu comentário e volte sempre!