Resenha Ilustrada"Jogos Vorazes" (Trilogia The Hunger Games - Vol. I) - Suzanne Collins

By 14:24 , , ,


Título Original: The Hunger Games
Autora: Suzanne Collins
Tradutor: Alexandre D’Elia
Ano de Publicação: 2008 nos EUA/ 2009 no Brasil
ISBN: 978-85-7980-024-5
Editora: Rocco
Sinopse: Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?

* Resenha Ilustrada é um formato de análise do livro em que figuras aleatórias coerentes com o enredo ilustram - não oficialmente - a resenha. As imagens não são spoilers significativos da obra. Além disso, adaptações ou qualquer outra coisa referente ao livro também é incluído. Essa é uma ideia - não tão original - para as resenhas. Claro que nem todos os livros resenhados vão seguir esse formato.  
Obs.: As ilustrações desta resenha stills do filme.




Sociedades distópicas sempre foi um tema interessante, seja no cinema ou nos quadrinhos – vulgo Battle Royale. Na literatura, porém, esse universo, principalmente para o público jovem, não foi muito explorado (não me lembro de algum livro que trata do assunto), até então. Jogos Vorazes vem então, quebrando o paradigma de uma “sociedade tranquila” para os jovens protagonistas. Pela primeira vez, a figura do jovem é inserida numa sociedade hostil e ditatorial, onde a regra do mais forte, opera na figura da Capital.

A intenção da autora, muito provavelmente, não foi em escrever um livro de crítica social. Se não foi essa sua intenção, inconscientemente, Suzanne Collins dá um leve tempero de ironia em várias passagens referentes àquilo que chamamos de América do Norte. O que mais chama a atenção é o retrato de toda a população dos doze distritos – inicialmente era treze o que é bem curioso, pois durante a colonização dos EUA o país era dividido em Treze Colônias – em contrapartida com a população da Capital: enquanto as pessoas dos distritos lutavam para sobreviver todos os dias, não tinham regalias e nem vaidades, a população da Capital vivia de futilidades e boa vida. A autora meio que joga esse fato para o leitor, para que ele próprio tire suas conclusões.

A protagonista, Katniss Everdeen, cresceu nesse meio social sem grandes perspectivas, fazendo dela uma protagonista de personalidade forte, muito mais preocupada com seus meios de sobrevivência e de sua mãe e irmã, Prim, do que qualquer outro tipo de coisa que possa tomar seu precioso tempo, como garotos, por exemplo. Gostei muito de conhecer uma personagem assim, diferente de tantas outras que nós encontramos nos livros juvenis/YA. Ela, para mim, se tornou um exemplo que nós, - juventude – não somos tão alienados e inúteis, apenas como mão de obra barata para um sistema que é tão ruim quanto à ditadura de Panem. Afinal, o Capitalismo consegue ser pior, pelo fato de sua dominação ser indetectável, ao contrário de uma ditadura em que a dominação é óbvia à vista da população.

Em contrapartida, temos a figura de Peeta Melark. À primeira vista, ingênuo, mas acaba por se mostrar atento ao que acontecia a sua volta. Ele acaba por ser tornar uma espécie de par romântico para Katniss. Porém, os jogos são tão cruéis, sendo a diversão do público da Capital, e uma punição para os distritos, que o romance é quase que engolido pelo banho de sangue na arena. A vida de ambos protagonistas fica por um fio tantas vezes que nos deixa com agonia em muitos capítulos.

Suzanne Collins usa de uma narração objetiva, sem delongas ou apelo para o lírico para incitar a emoção no leitor. Não é necessário, pois só uma pessoa insensível e fria não ficaria tocada pelas situações horrorosas trazidas pelos Jogos Vorazes. A morte daqueles jovens é tratada como natural, uma diversão.

No entanto, durante a leitura, eu não consegui evitar me perguntar se, de fato, vivemos numa sociedade justa. A resposta não é positiva. Tantos meios as mídias usam como dominação, como a política do pão e circo da Roma Antiga, não são formas de alienação e controle? Não temos um banho de sangue em rede nacional de televisão como acontece em Panem a cada ano, mas não temos a violência cada vez mais visível e próxima todos os dias?

De fato, a sociedade de Jogos Vorazes não é tão distante da nossa.

Enquanto eu lia, uma música da banda Nightwish acabou por marcar muitos momentos - principalmente os de tensão - da leitura. A música é Rest Calm do último álbum Imaginaerum

E por incrível que pareça, a letra da música lembra o enredo do livro.




Descanse Calmamente

Fui para morrer em um hotel à beira-mar
Linhas de memória pavimentadas por
Doces momentos congelados

Memórias no leito de morte de um lar
Nunca me deixe ir

Cada pequena memória está descansando em mim
Descansando em um sonho, sorrindo para mim
Os rostos do passado continuam me chamando para voltar para casa
Para acariciar o rio com temor

Dentro há cada calma pouca memória descansando comigo
Descansando em um sonho, sorrindo de volta para mim
Os rostos do passado continua me chamando para voltar para casa
Descanso calmamente e lembrar-me

Você é a lua de puxando-me para águas negras
Você é a terra no meu armário escuro
Fique ao meu lado até que escureça para sempre
Quando silencioso, o silêncio se aproxima

As memórias de casa no leito de morte
Nunca me deixam ir

Cada pequena memória está descansando em mim
Descansando em um sonho, sorrindo para mim
Os rostos do passado continuam me chamando para voltar para casa
Para acariciar o rio com temor

Dentro há cada calma pouca memória descansando comigo
Descansando em um sonho, sorrindo de volta para mim
Os rostos do passado continua me chamando para voltar para casa
Descanso calmamente e lembrar-me


Classificação:



Filme



Diretor: Gary Ross
Elenco: Jennifer Lawrence, Elizabeth Banks, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth, Woody Harrelson, Stanley Tucci, Amandla Stenberg, Willow Shields, Isabelle Fuhrman, Donald Sutherland 
Ano: 2012
País: EUA
Classificação: 12 anos 
Gênero: Ação
Sinopse: Num futuro distante, boa parte da população é controlada por um regime totalitário, que relembra esse domínio realizando um evento anual - e mortal - entre os 12 distritos sob sua tutela. Para salvar sua irmã caçula, a jovem Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) se oferece como voluntária para representar seu distrito na competição e acaba contando , com a companhia de Peeta Melark (Josh Hutcherson), desafiando não só o sistema dominante, mas também a força dos outros oponentes.
Eu já conhecia a trilogia Jogos Vorazes há bastante tempo. Porém a oportunidade de ler os livros veio tardiamente, por isso eu acabei por assistir o filme antes de ler o livro... O que francamente, eu não recomendo rs, pois é claro, perde a graça da coisa. 

A adaptação se preocupou tanto em agradar os leitores, quanto aqueles que nunca ouviram falar da história. Ou seja, é fácil entender o filme, mesmo você não lendo o livro antecipadamente, um problema que muitas adaptações cinematográficas baseadas em best-seller enfrentam na hora de escrever o roteiro. Afinal, a própria Suzanne Collins participou ativamente na produção do mesmo.

Outro ponto que é legal enfatizar, é a questão da violência do filme. Iria ser um problema dos grandes na hora em que fosse passar pela censura, porém ficou tudo muito bem dosado, sem ser apelativo demais ou omisso demais.

A trilha sonora quase não é perceptível durante o longa. Ouvindo-a depois, separadamente, ela se adequa muito bem ao enredo. 

Jennifer Lawrence encarna a personagem Katniss com maestria, mostrando uma interpretação bem fiel a personagem do livro, assim como Josh Hutcheson que interpretou Peeta. 

Agora, algo que eu considero o mais bacana do filme é visão do controle feito pelos Idealizadores dos Jogos, principalmente na figura do Presidente Snow (Donald Sutherland). No livro, como tudo é contado no ponto de vista da protagonista, o leitor não tem a oportunidade de saber o que está acontecendo fora da arena. O filme, no entanto, mostra esse outro lado, sem perder o foco principal do enredo.




Particularmente, o filme Jogos Vorazes é um bom exemplo de uma fiel adaptação.

Trailer





Leia também

4 comentários

  1. Leandro de Lira14/05/2012 18:55

    Oi!
    Eu já li e já assisti o filme de JV! E confesso que não gosto muito.
    Percebi que você adora! rsrs
    Gostei do blog e estou seguindo. Espero visitá-lo mais vezes!
    Abraço...

    "Palavras ao Vento..."www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  2. Sério que vc não gostou? rsrsrs. Eu adorei ambos - livro e filme =)

    ResponderExcluir
  3. GiselaMenicucciBortoloso19/05/2012 16:46

    Conheço várias pessoas que adoram o livro. Eu vou comprar o box assim que o preço diminuir, pois ainda está caro. Mas só vou ler porque gosto de ter opinião própria de livros que fazem tanto sucesso, pois confesso que não gostei nada do filme. Talvez o livro passe mais informação e vai ter um fundo moral que ainda não consegui ver no filme.
    um abraço
    Gisela - Ler para Divertir

    ResponderExcluir
  4. Sempre tive medo tbm desses livros que fazem muito sucesso, acabarem não me agradando... Mas até agora, poucas foram as exceções =)

    ResponderExcluir

Hey ;) Obrigada por deixar o seu comentário e volte sempre!