Resenha: Histórias Extraordinárias - Edgar Allan Poe

By 21:35 ,


Título Original: Extraordinary Tales
Autor: Edgar Allan Poe
Tradutor: Eliane Fittipaldi Pereira / Katia Maria Orbeg
Ano de Publicação: Edição de 2011
ISBN: 978-85-7232-823-4
Editora: Martin Claret
Sinopse: “Poe é uma influência determinante em toda a nossa modernidade, o criador das histórias de detetive e das tramas de ficção científica, presentes nas atualíssimas tendências fantásticas, góticas e underground. Mas ele é, acima de tudo, uma esteta de talento que abriu caminhos para todas as correntes literárias de todas as correntes subjetivista e barroca que vieram depois dele. Trata-se de um escritor-crítico que tem pleno domínio da arte retórica e da arte poética, um artífice que controla, com mão de ferro e cordas de alaúde, os efeitos que exerce em seu leitor. Um arquiteto do estilo que sabe estruturar um conto como poucos (...)” – Eliane Fittipaldi Pereira.
Histórias Extraordinárias reúne alguns dos mais conhecidos e importantes contos de Edgar Allan Poe: O Gato Preto, O Enterro Prematuro, A Queda da Casa de Usher, William Wilson e O Poço e o Pêndulo.



O efeito que a narrativa de Poe exerce sobre o leitor, é de tal forma inexplicável, tanto quanto mágico. É muito complicado resenhar sobre uma antologia, devido às “quebras” de espaço, tempo e personagens - sem contar o conteúdo de cada conto.

No entanto, de antemão, todos os contos desse curto livro possui um “quê” de surpreendente, e de inimaginável, num verdadeiro paradoxo de irreal e real. Todos os contos são narrados em primeira pessoa, numa narração fluente e fortemente arquitetada, caracterizando assim um texto riquíssimo de detalhes e artifícios.

Algo que é perceptível, porém, são os personagens principais que são narradores de suas peripécias, que são pouco caracterizados, e alguns nem possuem um nome (exceto o conto William Wilson, em que o autor é obrigado a falar mais do personagem central e também em A Queda da Casa de Usher, de forma simplória). Mesmo assim, o trabalho psicológico e de ponto de vista é o total domínio de todos os contos.

O Gato Preto

Este conto, particularmente, foi o que mais me assustou no sentido literal da palavra, chegando ao ponto do sono demorar a chegar... Com o enredo mais macabro de toda a antologia, com direito a sangue e cenas grotescas, o comportamento do protagonista me lembrou em dadas passagens, o personagem Meursalt do livro “O Estrangeiro” de Albert Camus, pela sua loucura repentina.

O Enterro Prematuro

Em comparação com o conto anterior, este é mais “leve” em seu enredo. O mais interessante é a questão do suspense reservado no final, característica típica de todos os contos.

A Queda da Casa de Usher

O conto é, sem dúvida, memorável. Poe usa e abusa do sobrenatural e do tilintar narrativo que culmina nos últimos fatos. De todos os contos, este possui o final mais surpreendente e inesperado.

William Wilson

Mais um conto que me recorda outro livro famoso, “O Retrato de Dorian Grey” de Oscar Wilde. Neste, o mistério assola todo o enredo, sendo o mais inusitado da antologia, pelo seu desenrolar perceptivelmente trágico desde o início.

O Poço e o Pêndulo

Este último conto eu já havia lido em outra ocasião por vias de curiosidade. A releitura conseguiu passar o mesmo efeito que eu senti na primeira leitura, dessa vez com os detalhes em evidência. Ele é singular por ser passar numa época totalmente diferente em comparação com os outros contos da antologia.

O que mais prende o leitor é justamente o desencaminhar dos fatos que são narrados até o final, que são todos surpreendentes. Sem dúvida, é uma leitura arrebatadora, mesmo sendo um livro curto (128 páginas), Poe não tem toda a sua fama em vão.

Classificação:



E você poderá ter a chance de ganhar um exemplar \o. Participem do sorteio aqui :)


Leia também

8 comentários

  1. Não li nada deste autor, mas ele está na mídia atualmente com o filme "O Corvo", que ainda não vi, mas dizem que é muito bom.
    Gostaria muito de ler este livro, ainda mais depois desta resenha empolgada sua. Como você, gosto de literatura dos séculos passados.
    um abraço
    Gisela - Ler para Divertir

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não vi esse filme, depois eu vou atrás para assitir :)


    Thanks

    ResponderExcluir
  3. Concordo com a Lieh, o Poe tem uma escrita 'certeira', como poucos. Que lembro, Carlos Heitor Cony também, dessa escrita mágica.

    ResponderExcluir
  4. Eu não sei porque eu demorei tanto para ler Poe, de verdade =)
    Eu só li uma tradução do Carlos Heitor Cony, de uma livro muito bonito e tocante.

    ResponderExcluir
  5. muito inteerressante essa resenha, quero ler ja

    ResponderExcluir
  6. O Enterro Prematura tem um final engraçado depois de toda aquela tensão,dos contos reunidos nesse livro acho que o único que não li é "William Wilson".
    Merece 5 estrelas,Poe é muito bom!

    ResponderExcluir
  7. Pensando por esse lado, o final é mesmo bem cômico rsrsrs

    ResponderExcluir

Hey ;) Obrigada por deixar o seu comentário e volte sempre!