Filme: O Hobbit - Uma Jornada Inesperada

By 18:27 ,

Título Original: The Hobbit - Unexpect Journey
Diretor: Peter Jackson
Elenco:Cate Blanchett, Saoirse Ronan, Elijah Wood, Martin Freeman, Christopher Lee, Ian McKellen, Andy Serkis, Richard Armitage
Gênero: Aventura
País: EUA/Nova Zelândia
Classificação: 12 anos
Ano: 2012
Status: Em cartaz
Sinopse: Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) vive uma vida pacata no condado, como a maioria dos hobbits. Um dia, aparece em sua porta o mago Gandalf, o cinzento (Ian McKellen), que lhe promete uma aventura como nunca antes vista. Na companhia de vários anões, Bilbo e Gandalf iniciam sua jornada inesperada pela Terra Média. Eles têm por objetivo libertar o reino de Erebor, conquistado há tempos pelo dragão Smaug e que antes pertencia aos anões. No meio do caminho encontram elfos, trolls e, é claro, a criatura Gollum (Andy Serkis) e seu precioso anel.
Créditos: Cineclik 

Acho que muitos se lembram da resenha não tão favorável ao livro de J.R.R. Tolkien que eu escrevi este ano. De fato, a leitura do livro foi um pouco decepcionante para mim por motivos já citados na resenha. Então, pode ser no todo estranho eu ter ido assistir no cinema a adaptação de uma história que não me foi inesquecível, já que eu só lembrava de Bilbo e suas atitudes estranhas, Thorin e os outros anões chatos que nem ao menos seus nomes consegui decorar, exceto Fili e Kili. E claro, Smaug e Gandalf, os únicos personagens que eu considerava interessantes.

Ok. Esses pensamentos já são conhecidos, mas agora eles podem ter se modificado a tal ponto que resolvi me aventurar na leitura da saga O Senhor dos Anéis. Sim, eu mesma que critiquei tanto a escrita de Tolkien, posso estar mordendo a língua. Porém, isso é outra longa história que vou compartilhar na resenha de A Sociedade do Anel. Aguardem.


A verdade é que o filme conseguiu melhorar todos os pontos que me fizeram desgostar do livro. Primeiro, Martin Freeman e sua encarnação genial de Bilbo Bolseiro. Realmente, nenhum outro ator poderia fazer o hobbit tão bem como Freeman e seu jeito peculiar, fazendo-me amá-lo nos primeiros cinco minutos de sua aparição. Para quem não sabe, Freeman já era conhecido pelo público que assistia a série britânica Sherlock, já comentadas no blog. Acho que depois dessa trilogia, a carreira de Martin Freeman nunca mais vai ser a mesma.


Além disso, a caracterização dos anões, principalmente Thorin Escudo de Carvalho (que promete ser um herói lendário), ficou maravilhosa, não faltando humor e carisma que eu tanto senti falta enquanto lia (pode ser que, se eu ler novamente o livro, eu encontre... Ou não). Como a promessa é de mais dois filmes, não só contando a história de Bilbo e sua jornada a Montanha Solitária, mas também com referências a outras obras do autor - O Silmarillion e Contos Inacabados - a tendência é que os anões individualmente ganhem mais destaque e sejam melhor apresentados ao público. 

Com cenários maravilhosos, uma trilha sonora impecável, a experiência de ver o filme em 3D com o tão falado 48 frames/quadros por segundo (não que eu entenda muito disso, mas ok), foi sim uma jornada inesperada e incrível.


Leia também

4 comentários

  1. Este foi o livro que mais gostei da saga do Senhor dos Anéis (sei que ele é anterior a trilogia, mas considero-o parte da história), e pelo visto o filme é muito bom, então verei no cinema.

    Abraços,

    Gisela

    @lerparadivertir

    LerparaDiverir

    ResponderExcluir
  2. O filme é muito bom mesmo, Gi. Eu realmente gostei da adaptação.

    ResponderExcluir
  3. Eu tive uma opinião razoavelmente parecida com a sua do livro. É meio pacato e até cansativo. Mas o filme mudou e muito minha concepção. Vi tbm em 48fps e 3D, não há como descrever a perfeição. Só quem viu, viu!

    ResponderExcluir
  4. Exatamente Carlos! O livro eu considero chatinho (e olha que eu adoro histórias infantis...), mas o filme ficou incrível, eu estou louca para assistir novamente =D

    ResponderExcluir

Hey ;) Obrigada por deixar o seu comentário e volte sempre!