[Projetor] Mr. Robot - 1ª Temporada

By 13:52 , , ,

Voltei ;)

Espero que todos tenham tido um ótimo Carnaval. O meu foi como sempre ficar em casa descansando, lendo meu livro e vendo uma série, sendo esta Mr. Robot.

Vi muitas pessoas nas redes sociais elogiando a série e como sempre resolvi ver do que se tratava. O que realmente me fez começar a assistir foi a premissa inicial. Um jovem programador/hacker chamado Elliot Alderson (Rami Malek) tem  sérios problemas psicológicos e em lidar com as pessoas e acha que a única maneira de se aproximar delas é hackeando-as. Ele se vê preso em situação entre trabalhar para um empresa de segurança, hackears às pessoas próximas a ele durante a noite e o grupo de hackers que tenta recrutá-lo através do misterioso Mr. Robot.

Na hora que eu vi a sinopse eu pensei: finalmente uma série que vai mostrar (mais ou menos) como é o mundo de TI, no qual eu trabalho. Não trabalho com segurança muito menos sou programadora ou hacker (lol!) mas meu dia a dia é envolvido com sistemas e seus problemas e foi isso que me estimulou a ver Mr. Robot no começo, pois não é sempre que o meu ambiente de trabalho é o plot principal de uma série haha. A única que eu assisti e que se passa no mundo de TI foi The IT Crowd - sensacional e com ótimas piadas. Mas é um sitcom para satirizar este mundo, o que Mr. Robot faz com maestria porém como uma outra abordagem, bem mais séria e crua.

Se você assim como eu achou que a série ia ser aquele clichê de "vamos fazer um mundo melhor" e ficar apenas nisso, parabéns porque erramos feio. Eu tive essa impressão inicial nos primeiros episódios, que seria apenas heroísmo por heroísmo. Mas conforme o andar da temporada, eu vi que a coisa era muito mais problemática principalmente para Elliot. O passado do personagem e os mistérios que rondam em torno disso dá aquele gás para você continuar assistindo, sem mencionar que apesar de ser um cara problemático - que não sorri quase nada e sempre guarda tudo o que sente - o protagonista tem o seu carisma e você se apega e torce para que as coisas dê certo para ele. O que me fez sofrer muito, sendo bem honesta, porque tinha hora que eu queria pôr ele no colo, tadinho ;(

É impossível não se recordar do filme Clube da Luta (1999) por conter premissas parecidas com a série e o fato de envolver o caráter psicológico na narração, entre real e surreal - algo que o próprio roteirista creditou como inspiração assim como Laranja Mecânica, Taxi Driver, Matrix, American Psycho e até mesmo Breaking Bad (esta última que já está na lista de séries para ver faz um tempo).

Temos muitos desses momentos surreais em Mr. Robot, tanto que mais da metade de um episódio se passa na mente do protagonista, o que eu achei espetacular. Não é de hoje que eu digo que amo narrativas que o psicológico dos personagens é o grande pano de fundo e o principal motor narrativo. Além disso, Elliot conversa com a audiência com muita frequência através dos seus pensamentos, o que aproxima muito mais o expectador com à história contada. Ótima técnica de narração. 




Tenho que mencionar o desenvolvimento de Elliot como personagem está sendo fascinante até agora, principalmente pela imprevisibilidade dele e de suas decisões. Ajuda também o fato do ator ser muito bom, porque eu não acho que qualquer outro aguentaria a carga emocional pesada da série *palmas para o Rami Malek*. 

Uma referência bem marcante foi ao V de Vingança e ao grupo de hackers famosos (eles não são somente hackers, mas são conhecidos mais dessa forma) Anonymous. Os hackers-ativistas da série seguem exatamente as ideias do grupo Anonymous em seus ideais. Se são bons ou ruins é difícil dizer, porém é o que motiva em parte cada um deles. 

O uso de uma máscara de palhaço (referência à máscara de Guy Fawkes usadas pelos Anonymous reais) e o uso de videos ameaçando corporações é usado na série, tal qual como acontece nos dias de hoje. Isso dá uma verossimilhança muito maior à história com o uso de uma situação da atualidade. Eu espero que na segunda temporada tenhamos mais respostas de como surgiu esse grupo e o background dos personagens. 

Um personagem secundário que eu amei e sofri muito foi a Shayla que conhecemos logo no primeiro episódio. Aquele famoso problema de você amar um personagem, shipar com o protagonista e bem..... É. Não falo se não será um grande spoiler, digo apenas que meu coração se desfez em pedaços...

Sobre a Angela que é a única amiga de Elliot e possivelmente e/ou futuramente um par romântico, ainda acho que ela precisa se provar para mim, mesmo ela tendo crescido muito como personagem nos últimos episódios. Dou graças a Deus dela não ser o estereótipo que eu odeio de loira burra em apuros, muito pelo contrário. Fica claro que a jornada dela vai ser tão perigosa e imprevisível como está sendo a de Elliot desde o começo. 

Além disso, a trilha sonora da série também precisa ser mencionada, princialmente uma versão de Where's My Mind do Pixies no piano, If You Go Away do Neial Diamond e Sound & Color de uma das minhas bandas favoritas, Alabama Shakes no último episódio, com a trilha alternando entre canções eternizadas e o contemporâneo. Você pode ouvir a playlist aqui. 

Esta primeira temporada termina com muitas perguntas a serem respondidas e mistérios que eu espero que sejam resolvidos na segunda temporada que sai este ano em junho ou julho. Vamos ver como será na segunda temporada, porque o que teve de plot twists e revelações bombásticas só neste primeira temporada foi de cair o queixo, pois muitas coisas eu realmente não esperava que aconteceriam. Até agora estou bem satisfeita e espero que continue assim até o final :)




Título: Mr. Robot
Canal: USA Network
Gênero: Thriller psicológico, Drama, Crime
Ano: 2015
Produção: Sam Smail, Steve Golin, Igor Srubshchik, Chad Hamilton
Roteiro: Sam Smail
Episódios: 10 (49 min) - 1 temporada completa até a data deste post


Leia também

0 comentários

Hey ;) Obrigada por deixar o seu comentário e volte sempre!