[Top 5] Episódios Favoritos de Doctor Who

By 22:09 , , ,



Aproveitando o embalo do que está sendo até o momento uma maravilhosa 10ª temporada - e para a tristeza dos fãs de Peter Capaldi como eu, a última do ator no papel principal -listei cinco episódios no qual tenho muito carinho, aqueles episódios que gosto de rever sempre que posso seja pelo roteiro ou pela atuação brilhante do elenco.

Para quem chegou de pará-quedas aqui e não sabe que raios é Doctor Who - mas convenhamos, você viveu numa caverna nesses últimos cinco anos para não ter ouvido nem falar da série até hoje #brincadeirinha - é uma série britânica de ficção científica/aventura com quase 54 anos de existência. 

A série narra as aventuras de um Senhor do Tempo chamado Doctor (ou Doutor) que viajava numa máquina do tempo com formato de cabine de polícia londrina chamada TARDIS sempre com uma (s) companheiras (os) na maioria das vezes humanos. Por ser um alienígena, ele quando está à beira da morte, se regenera em um novo corpo, mas mantém suas memórias - esta razão de tantos atores interpretarem o mesmo personagem e a série ter durado tanto tempo.

A produção depois de um longo hiatus retornou em 2005 e continua até hoje. Em 2013 a série se popularizou no Brasil com a exibição do especial de 50 anos no cinema, no qual eu tive o privilégio de participar da transmissão simultânea junto com outros fãs da série. 

De 2013 para cá, os fãs brasileiros de Doctor Who saíram do limbo e de comunidades obscuras da internet, se tornando finalmente conhecidos junto com a série. Conheci Doctor Who em meados de 2012 e não larguei mais, e já até fiquei perto do David Tennant (meu Doutor favorito) na Comic Con Experience ☺

Eis a minha seleção de episódios favoritos até hoje do homem louco com uma caixa. E cuidado com os spoilers:

Menção honrosa: The Doctor's Wife


Doctor: 11º (Matt Smith)
Companions: Amy Pond (Karen Gillan) e Rory Williams (Arthur Darvill)

Eu não poderia deixar esse episódio de fora por conta de um nome: Neil Gaiman. Sim, o próprio escreveu o roteiro deste episódio que é um dos melhores da era do 11º Doctor. Quem conhece o trabalho do Gaiman sabe que ele não brinca em serviço e nos entrega uma história que além de acrescentar muita coisa à mitologia da série, nos presenteia com a TARDIS ganhando vida em um corpo de uma mulher!

A relação Doctor-TARDIS é a mais importante que existe em toda a série e isso fica em evidência neste episódio. Temos diálogos memoráveis entre dois, de fazer rir e chorar.





5 - The Empty Child / The Doctor Dances


Doctor: 9º (Christopher Eccleston)
Companion: Rose Tyler (Billie Piper)

Poucos fãs gostam de verdade da primeira temporada o que acho uma injustiça com o 9º Doctor, mas admito que a tosquice pode incomodar os desavisados. 

Porém quando se chega no arco The Empty Child / The Doctor Dances a temporada melhora bastante, além de introduzir o querido Capitão Jack Harkness que irá aparecer mais vezes na série ajudando o Doctor, e porque se passa no meio da Segunda Guerra Mundial durante o ataque alemão da Blitz em Londres. 

No meio do confronto, o Doctor e a Rose encontram um grupo de crianças sem-teto aterrorizadas por Jamie "a criança vazia" com uma máscara de gás. É aquele episódio que dá uns pesadelos depois de assistir, é considerado um dos mais aterrorizantes da série, mas que possui uma conclusão marcante, incluindo a fala do 9º Doctor no fim:







4 - The Snowmen


Doctor: 11º (Matt Smith)

Companion: Clara Oswald (Jenna Coleman)

Ah esse especial de Natal de 2012 é uma mistura de conto infantil com drama que gosto demais, além de ser a introdução da minha segunda companion favorita, Clara Oswald - não necessariamente a verdadeira Clara, mas isso fica claro na sétima temporada.

Temos também a primeira aparição desde o reboot de um vilão antigo da série, The Great Intelligence que será crucial na história tanto do Doctor quanto da Clara, assim como também no especial de 50 anos. A interação entre Clara e o Doctor é muito divertida neste especial de natal e já foi neste episódio que ela me conquistou, além de todo aquele clima gostoso de Natal.









3 - The Fires of Pompeii


Doctor: 10º (David Tennant)
Companion: Donna Noble (Catherine Tate)

Às vezes o Doctor se intromete na História para ajudar, mas também acaba provocando o mal sem querer - contradição que considero essencial para entender o personagem, e neste episódio isso fica bem evidente. Donna se mostra como uma mulher com um coração muito nobre (sim foi trocadilho) pois antes desse episódio ele aparentava ser uma mulher frívola para se importar com os outros. Foi nessa história que a moça ganhou a minha admiração por fazer o Doctor enxergar o que ele não conseguia ver e o cargo de companion favorita ❤

E tem a participação de um ator que virou Doctor...








2 - The End of Time (Parte I e II)


Doctor: 10º (David Tennant)
Companion: Wilfred (Bernad Cribbins)

Última história do meu querido 10º Doutor e não poderiam ter feito uma conclusão de sua jornada de forma mais poderosa e emocionante, com direito ao retorno do meu vilão favorito, o Master (John Simm) revelações sobre a Guerra do Tempo e a aparição de Rassilon e companhia limitada.

É uma das histórias mais pesadas da série, principalmente pela carga emocional nos últimos minutos. David Tennant está melhor do que nunca neste episódio e é nítido a entrega total do ator na sua despedida da série, o que para nós foi um presente e tanto. Ainda considero a melhor regeneração até hoje - veremos se Peter vai fazer eu mudar de ideia. É o segundo melhor episódio de toda a nova era de Doctor Who e favorito!





E o primeiro lugar vai para....






1 - Heaven Sent


Doctor: 12º (Peter Capaldi)
Companion: Nenhuma #feels

Um grande ator, com um roteiro incrível e uma direção que faz jus ao talento de Peter Capaldi. Um episódio de 50 minutos que é um puro monólogo, sustentando-se apenas no talento do ator escocês. Se fosse para definir Heaven Sent em uma palavra seria brilhante. Assim como muitos fãs, considero este o melhor episódio de toda a série moderna, pois acho difícil algum outro ator fazer o que Peter fez.

Peter é o meu segundo Doctor favorito depois do David e para mim foi maravilhoso ver um roteiro que valorizava seus atributos como ator - assim como toda a 9ª temporada - serem finalmente bem usados. O enredo é focado em duas coisas: existência e luto. Sombrio, até assustador e agoniante em algumas partes, Heaven Sent é sem dúvidas um episódio que fez história nesses mais de 50 anos de série e uma verdadeira obra de arte *palmas*

PS: Peter deveria ter sido indicado para um BFTA!





Leia também

0 comentários

Hey ;) Obrigada por deixar o seu comentário e volte sempre!